Inteligência Artificial aplicada aos negócios

Por: Rodrigo Nascimento
– Head de Desenvolvimento e Inteligência Artificial 

A Inteligência Artificial é um tema que já desperta a curiosidade e fascínio das pessoas há muitos anos. Para se ter uma ideia, acredita-se que o conceito foi concebido pelo matemático britânico Alan Turing em 1950 e que o termo foi cunhado pela primeira vez pelo americano John McCarthy, em 1955. Outra curiosidade que demonstra a longevidade dos estudos deste assunto é o fato da primeira conferência de Inteligência Artificial, a Conferência de Dartmouth, ter acontecido em 1956, com o objetivo de explorar alternativas para que uma máquina pudesse raciocinar como um humano, resolver problemas e aprender “sozinha”.

Mesmo não sendo um termo novo, ainda é comum as pessoas relacionarem Inteligência Artificial com obras de ficção científica, robôs que desempenham tarefas domésticas, robôs policiais e outras formas que se tornaram populares em filmes que abordaram o tema como algo futurístico e ainda distante.

No passado, apenas as grandes corporações podiam investir em projetos e iniciativas de IA. Hoje, porém, muitas startups e empresas mais jovens estão investindo em diferentes soluções que podem ser aplicadas em qualquer seguimento. Empresas de todas as áreas e tamanhos estão considerando a inteligência artificial para resolver problemas reais de negócios.

Mas o que é Inteligência Artificial?

O termo “inteligência artificial” é muitas vezes utilizado para denominar dispositivos ou aplicativos capazes de realizar tarefas específicas simulando um ser humano, desempenhando funções cognitivas como, por exemplo (mas não limitado a isso):

 ·         Compreensão de linguagem natural (a máquina ser capaz de compreender o que um humano diz)
·         Raciocínio (capacidade de interpretar algo, relacionar a um contexto e até mesmo ter insights a respeito)
·         Auto- aprendizagem (ser capaz de interpretar novas situações ainda não aprendidas através de repetições e contextos.)
·         Tomada de decisões (ser capaz de responder algo, tomar uma ação ou mesmo auxiliar um humano em uma tomada de decisão ou solução de problemas)

E o que é Machine Learning (Aprendizado de Máquina)?

O termo Machine Learning é também muito difundido como sinônimo de Inteligência Artificial. Na verdade, o aprendizado de máquina é uma “parte” da IA. O termo pode ser relacionado ao conceito de máquinas identificando padrões para tomarem ações de acordo com esses padrões. Uma máquina pode aprender, por exemplo:

·         Sugerir músicas de acordo com o humor e gosto de quem ouve;
·         Ler um texto e identificar se o autor está fazendo uma reclamação ou uma ordem de compra
·         Ouvir uma conversa telefônica e interpretar o sentimento e satisfação dos interlocutores;
·         Reconhecer imagens e classificá-las de acordo com os elementos que elas contêm
·         Traduzir grandes volumes de texto em tempo real

Quais são as vantagens de inserir a Inteligência Artificial em minha empresa? A Inteligência Artificial está se tornado fundamental para que as empresas inovem, identifiquem novas oportunidades de negócios e remodelem a maneira que operam. Se você ainda não conhece muito o conceito, cito algumas (realmente só algumas, pois as possibilidades são diversas) vantagens de ser uma empresa “AI Running”:
·         Significativa economia de recursos financeiros e humanos, automatizando processos e tarefas que atualmente demandam a interação dos colaboradores;
·         Melhorar a tomada de decisões através do aumento na capacidade de analisar diferentes fontes de dados, identificar padrões e sugerir tendências em uma velocidade infinitamente maior do que um humano;
·         Oferecer uma melhor experiência ao cliente, identificando seu gosto, preferências e oferecendo serviços aderentes a seu perfil;
·         Melhorar o índice de satisfação do cliente, identificando seu humor em ligações, emails, postagens em redes sociais, etc e permitindo que a empresa possa tomar alguma ação em relação a isso
·         Aumentar a competitividade, por exemplo, identificando noticias, publicações e estratégias relacionadas a sua empresa, segmento e concorrentes;
·         Melhorar a estratégia de marketing, analisando seu negócio e resultados, identificando pontos fortes e pontos a serem trabalhados, e até mesmo o sentimento de clientes e noticias da internet sobre sua empresa.

Como a Inteligência Artificial pode ser aplicada aos nossos negócios? 

A Inteligência Artificial já faz parte de nossas vidas e o aumento na capacidade de processamento e acesso a grandes quantidades de dados está tornando a IA cada vez mais uma realidade. Um bom exemplo deste avanço na “Infraestrutura Inteligente” é o O IBM® Power Systems™ Accelerated Compute Server (AC922), desenvolvido especialmente para permitir que as empresas tenham um melhor desempenho em aplicações de inteligência artificial, explorem totalmente os recursos de seus aceleradores de GPU, eliminando os gargalos de processamento e compartilhando memória entre GPUs e CPUs.

 A Inteligência Artificial pode ser aplicada para qualquer negócio, as utilizações mais difundidas atualmente são:

·         Agentes virtuais e chatbots;

·         Sugestões de conteúdos ou de ações;

·         Reconhecimento de voz e fala;

·         Reconhecimento facial;

·         Reconhecimento de padrões para tomadas de decisão;

·         Carros autônomos;

·         Dispositivos Inteligentes (Internet das Coisas);

·         Análises preditivas.

Por mais didática que sejam as explicações acima, as mesmas ainda fazem parecer muito complicado pensar em como aplicar tudo isso em nossa vida ou empresa, correto?  Para tornar mais fácil a compreensão, cito alguns exemplos de soluções e casos de uso que temos trabalhado nos últimos anos:  ABC Educação.

O ABC Educação utiliza a inteligência artificial para analisar conteúdos criados por alunos, como redações, respostas a questionários e até publicações em redes sociais, para gerar e disponibilizar para os educadores um dashboard com as características de personalidade de cada estudante, permitindo que a escola ofereça uma experiência de ensino personalizada. Esta solução auxiliar os professores a identificarem, por exemplo, o que motiva determinado aluno, se o mesmo é extrovertido, se gosta de ler e até mesmo se apresenta um alto grau de melancolia, permitindo que os docentes possam melhorar a abordagem de acordo com cada individuo.

 Cognitive Regulatory Intelligence (CRI) 

O C.R.I (Cognitive Regulatory Intelligence) é uma solução que busca e interpreta informações em documentos como Diário Oficial, Boletins Regulatórios, Atas de Reunião, Atas de Audiência, Sentença e qualquer outro documento. Utilizando-se de sistemas cognitivos que simulam a aprendizagem e o raciocínio humano, o CRI é muito utilizado por escritórios de advocacia, pela Indústria Farmacêutica, Agronegócio, Institutos de Pesquisa, Agências  de MKT, dentre outros, pois oferece uma forma rápida e eficaz de extrair informações relevantes de documentos, como processos regulatórios, suas datas, empresas requerentes, locais (países, cidade e endereços), deferimentos, indeferimentos, cnpj, valores de mercadorias e produtos, país de origem de uma carga, marca comercial, grupos químicos, nomes de pessoas, RG, cpf, número de processos, dentre outros, e tomar ações ou facilitar a tomada de decisões à partir destes dados.

Customer Experience Optimization (CEO)

O CEO é uma solução que permite analisar a qualidade do atendimento aos clientes através da análise de ligações, emails, chats online e até postagens de clientes em redes sociais. Esta solução é capaz de aprender padrões que permitem identificar se o cliente, por exemplo, está feliz, ansioso, satisfeito ou nervoso. Com isso, apenas os atendimentos considerados fora do padrão de qualidade podem ser encaminhados para análise humana, reduzindo drasticamente o esforço e investimento com o controle de qualidade e permitindo que a empresa analise 100% das interações, e não somente uma amostragem, como é mais comum.

Assistentes e Chatbots

Talvez a mais conhecida e universal das utilizações nas quais se aplicam a Inteligência Artificial, os assistentes e chatbots permitem que as empresas ofereçam agentes virtuais para automatizar e melhorar o atendimento a seus clientes. Este agente virtual pode ser utilizado em qualquer segmento, como por exemplo, lojas, bancos, seguradoras, escolas. Os agentes são capazes de aprender e responder desde dúvidas sobre determinado produto, até mesmo dúvidas sobre investimentos ou que tipo de roupas levar em uma viagem.

Como devo começar?

A consolidação do tema Inteligência Artificial trouxe também um cenário perigoso. Cada vez mais as empresas, sedentas para entrarem na “era da Inteligência Artificial”, começam projetos mirabolantes, que demandam um grande investimento humano e financeiro, e trazem resultados que pouco contribuem para seus negócios. Pior que isso, cada vez mais consultorias que se proclamam como especialistas em Inteligência Artificial, oferecem soluções nada eficientes para empresas que não precisam destas soluções (e soluções que muitas vezes poderiam ser feitas sem a Inteligência Artificial).  O primeiro passo para uma empresa que deseja ser AI Running e ainda não encontrou uma aplicação para isso (ou mesmo que já encontrou e deseje validar/aperfeiçoar a ideia) é fazer algumas sessões do chamado “Design Think”, que nada mais é do que encontros nos quais se reúnem colaboradores da empresa e designers de “solução”, especialistas em encontrar oportunidades e desenhar projetos que integrem as necessidades, as possibilidades da tecnologia e os requisitos para o sucesso dos negócios. O resultado deste trabalho tende a ser um grande imput para que as empresas possam decidir como iniciarem sua jornada no mundo da Inteligência Artificial. Agende uma conversa com os especialistas da FNC IT e coloque sua empresa também na rota da inovação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.