5 estágios de transformação digital. Em qual deles você se encaixa?

A transformação digital não é apenas um casamento de duas palavras, mas o retrato de um momento dramático em que empresas estão mudando seus modelos de negócios e incorporando novas tecnologias digitais. O fenômeno está por todo lado, abarcando empresas de diferentes tamanhos e setores.

Para entender melhor esse movimento, O IDC fez um estudo e identificou os estágios de maturidade das empresas em relação à transformação digital e constatou que há 5 perfis diferentes. Em qual deles a sua empresa se encaixa?

 

Perfis da transformação digital

RESISTENTES – 14,2%: esse grupo está na retaguarda do processo e tem uma postura defensiva quanto a adoção de soluções e plataformas digitais.

EXPLORADORES DIGITAIS – 31,8%. Nesse grupo estão as empresas que oferecem produtos, serviços e experiências digitais, embora de forma inconsistente e não integrada.

DIGITAL PLAYERS – 32,4%. Neste estágio, as empresas fornecem produtos, serviços e experiências consistentes, mas não verdadeiramente inovadoras.

DIGITAL TRANSFORMERS – 13,6%. Aqui estão os líderes em seus mercados, oferecendo produtos, serviços e experiências inovadoras.

DIGITAL DISRUPTORS – 9%. Neste pelotão de frente, o dos disruptores digitais, estão aquelas empresas que vêm redesenhando mercados existentes e até criando novos mercados para atuarem.

 

No Brasil

Os percentuais refletem a realidade americana, mas as cinco divisões também retratam as empresas brasileiras, cada uma conduzindo a sua transformação de forma mais lenta ou mais rápida. E, verdade seja dita, aquelas que não se mexerem correm o risco de ficar para trás, perdendo espaço e competitividade.

A jornada de transformação, é claro, requer uma infraestrutura robusta e de alto desempenho. Por isso, a IBM lançou ainda em 2014 o primeiro processador projetado para Big Data, o POWER8, e agora acaba de anunciar o POWER9, com arquitetura que  permite combinações de diferentes aceleradores para atender às necessidades de computação cognitiva e Inteligência Artificial das empresas.

Os processadores POWER são a alma da família de servidores IBM Power Systems, que têm tecnologia aberta e inovadora. São otimizados, seguros e suportam altas cargas de trabalho. A plataforma é constantemente atualizada com inovações feitas a partir de seu ecossistema colaborativo: a OpenPOWER Foundation, uma comunidade crescente que trabalha no desenvolvimento de novas gerações de aplicativos e tecnologias.

O IDC acredita que empresas que queiram adquirir tecnologias devem incluir o Power Systems em uma avaliação comparativa ou correrão o risco de deixar de selecionar a infraestrutura mais adequada e econômica para a jornada de transformação digital.

Por isso, se o assunto em sua empresa for estratégias, transformação digital ou tecnologias para colocar sua empresa alinhada com o futuro, fale com um consultor da FNC. Somos especialistas nisso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *